MUSEU DAS CAVALHADAS: ACERVO DE IMAGENS E NARRATIVAS SOBRE UMA REPRESENTAÇÃO MEDIEVAL NO CERRADO

João Guilherme da Trindade Curado, Célia Fátima de Pina

Resumo


Na cidade de Pirenópolis/GO, são encenadas, pelo menos, desde 1826, as Cavalhadas, uma representação das históricas lutas entre Mouros e Cristãos que tiveram por campo de batalhas a Europa Medieval. Em Goiás, a encenação das Cavalhadas acontece em várias cidades, mas talvez tenha sido em Pirenópolis que o enredo tenha melhor se adaptado ao Cerrado, uma vez que a trama se inicia com a descoberta e morte do espião mouro em território cristão, sendo a espia representada por uma onça. As Cavalhadas são bastante frequentadas pelos pirenopolinos, e os Cavaleiros Mouros e Cristãos se tornaram ícones da cultura local, o que faz com que este espetáculo reconduza a momentos históricos outros, trajetória esta que será o foco da investigação. Com quase dois séculos, as Cavalhadas de Pirenópolis vêm passando por significativas alterações nas últimas cinco décadas, desde a questão da recorrência, das vestimentas e dos adereços até a espacialidade utilizada para encenação, mas que não tem descaracterizado o enredo que remete ao “Ciclo de Carlos Magno”. São imagens e narrativas que se propõem investigar, a partir de referenciais sobre as Cavalhadas em Pirenópolis e, principalmente, pela análise do acervo documental e visual do Museu das Cavalhadas, o primeiro a abordar esta temática no Brasil e que foi fundado na casa de dois ex-cavaleiros

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.