A DEFINIÇÃO DE UM BOM CAVALEIRO ENUNCIADA PELO PRIOR FRANCÊS, HONORÉ BOVET, EM SUA OBRA L’ARBRE DES BATAILLES (1389)

Carmem Lúcia Druciak

Resumo


L’Arbre des batailles é um tratado de direito de guerra dedicado ao rei francês Charles VI (1380-1422), em que seu autor, o prior Honoré Bovet, nascido na Provença, licenciado em Direito e especializado em decretos, discorre sobre a guerra, durante os conflitos da Guerra dos Cem Anos, como fenômeno salutar à sociedade, desde que obedeça ao conceito de “guerra justa”. Ao usar a figura da árvore, Bovet estabelece certa hierarquia dos movimentos de guerra e conceitua, ao longo do livro, a natureza da batalha, quem são os agentes legítimos a atuar nela e de que forma devem fazê-lo. Ele ainda caracteriza, em diversos trechos da obra, a atividade dos cavaleiros e, por extensão, acaba informando sobre toda a cavalaria enquanto grupo legitimado pelo rei e a serviço dele. Concentrar-nos-emos nos capítulos em que Bovet enumera características louváveis dos cavaleiros, procurando identificar elementos que mostrem diferenças e continuidades no que se refere à atividade militar exercida por esses homens de armas na França da Baixa Idade Média.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.